sexta-feira, 22 de março de 2013

EXERCÍCIOS DE ANÁLISE SINTÁTICA



O gigolô das palavras
(Veríssimo, Luís Fernando. Amor Brasileiro. RJ. José Olympio – 1977. P. 72)

           Quatro ou cinco grupos diferentes de alunos do Farroupilha estiveram lá em casa numa mesma missão, designada por seu professor de Português: saber se eu considerava o estudo da Gramática indispensável para aprender e usar a nossa ou qualquer outra língua. Cada grupo portava seu gravador cassete, certamente o instrumento vital da pedagogia moderna, e andava arrecadando opiniões. Suspeitei de saída que o tal professor lia esta coluna, se descabelava diariamente com as suas afrontas às leis da língua, e aproveitava aquela oportunidade para me desmascarar. Já estava até preparando, às presas, minha defesa (“Culpa da revisão! Culpa da revisão!). Mas os alunos desfizeram o equivoco antes que ele se criasse. Eles mesmos tinham escolhido nomes a serem entrevistados. Vocês têm certeza que não pegaram o Vríssimo errado? Não. Então em frente. Respondi que a linguagem, qualquer linguagem, é um meio de comunicação e que deve ser julgada exclusivamente como tal. Respeitadas algumas regras básicas da Gramática, para evitar os vexames mais gritantes, as outras são dispensáveis. A sintaxe é uma questão de uso, não de princípios. Escrever bem é escrever claro, não necessariamente certo. Por exemplo: dizer “escrever claro” não é certo mas é claro, certo? O importante é comunicar. (E quando possível surpreender, iluminar, divertir, comover... Mas aí entramos na área do talento, que também não tem nada a ver com Gramática.) A Gramática é o esqueleto da língua. Só predomina nas línguas mortas, e aí é de interesse restrito a necrólogos e professores de Latim, gente em geral pouco comunicativa. Aquela sombria gravidade que a gente nota nas fotografias em grupo dos membros da Academia Brasileira de Letras é de reprovação pelo Português ainda estar vivo. Eles só estão esperando, fardados, que o Português morra para poderem carregar o caixão e escrever sua autópsia definitiva. É o esqueleto que nos traz de pé, certo, mas ele não informa nada, como a Gramática é a estrutura da língua mas sozinha não diz nada, não tem futuro. As múmias conversam entre si em Gramática pura. Claro que eu não disse tudo isso para meus entrevistadores. E adverti que minha implicância com a Gramática na certa se devia à minha pouca intimidade com ela. Sempre fui péssimo em Português. Mas – isto eu disse – vejam vocês, a intimidade com a Gramática é tão dispensável que eu ganho a vida escrevendo, apesar da minha total inocência na matéria. Sou um gigolô das palavras. Vivo às suas custas. E tenho com elas a exemplar conduta de um cáften profissional. Abuso delas. Só uso as que eu conheço, as desconhecidas são perigosas e potencialmente traiçoeiras. Exijo submissão. Não raro, peço delas flexões inomináveis para satisfazer um gosto passageiro. Maltrato-as, sem dúvida. E jamais me deixo dominar por elas. Não me interessa seu passado, suas origens, sua família nem o que os outros já fizeram com elas. Se bem que não tenha também o mínimo escrúpulo em rouba-las de outro, quando acho que vou ganhar com isto. As palavras, afinal, vivem na boca do povo. São faladíssimas. Algumas são de baixíssimo calão. Não merecem respeito. Um escritor que passasse a respeitar a intimidade gramatical das suas palavras seria tão ineficiente quanto um gigolô que se apaixonasse pelo seu plantel. Acabaria tratando-as com a deferência de um namorado ou com a tediosa formalidade de um marido. A palavra seria a sua patroa! Com que cuidados, com que temores e obséquios ele consentiria em sair com elas em público, alvo da impiedosa atenção de lexicógrafos, etimologistas e colegas. Acabaria impotente, incapaz de uma conjunção. A Gramática precisa apanhar todos os dias para saber quem é que manda.

Vocabulário:
Gigolô: indivíduo que vive às custas de prostitutas ou de mulher mantida por outro homem.
Cáften: gigolô.
Plantel: grupo de prostitutas.
Lexicógrafos: autor de dicionários.
Etimologistas: pessoa que estuda a origem das palavras.

20- Responda as questões que se seguem de acordo com o texto:
a) Para escrever é necessário talento ou conhecimento? Comente.
________________________________________________________________
b) Em que sentido as palavras podem ser perigosas?
________________________________________________________________
c) O ensino da gramática é importante ou o importante é apenas se comunicar? Explique-se.
________________________________________________________________
d) Com base em seus conhecimentos gramaticais, comente a observação feita pelo autor no segundo parágrafo: “ ‘escrever claro’ não é certo mas é claro”.
________________________________________________________________

21- Separe o sujeito do predicado nas orações abaixo e classifique-os:
a) Quatro ou cinco grupos do Farroupilha estiveram lá em casa numa mesma missão.
Sujeito: ________________________________________________________
Classificação: _____________________
Predicado: ______________________________________________________  
Classificação: _____________________
b) Cada grupo portava seu gravador cassete.               
Sujeito: ________________________________________________________  
Classificação: _____________________
Predicado: _____________________________________________________
Classificação: _____________________
c) Sou um gigolô das palavras.                                      
Sujeito: _______________________________________________________
Classificação: _____________________
Predicado: ____________________________________________________
Classificação: _____________________

22- Diga a função sintática dos termos sublinhados:
a) Respondi que a linguagem, qualquer linguagem, é um meio de comunicação...
______________________________________________________________
b) A sintaxe é uma questão de uso...
______________________________________________________________
c) Só predomina nas línguas mortas...
______________________________________________________________
d) “Exijo submissão.”
______________________________________________________________
e) “Claro que eu não disse tudo isso para meus entrevistadores.”
______________________________________________________________
f) “...saber se eu considerava o estudo da gramática indispensável para aprender e usar a nossa ou qualquer outra língua.
______________________________________________________________
g) “Não merecem o mínimo respeito.”
______________________________________________________________
h) “...o tal professor lia esta coluna...”
______________________________________________________________

23- Faça a análise sintática dos termos sublinhados:
1) Por causa do uso do cachimbo parecia um aleijado.
______________________________________________________________
2) Você ficará tuberculoso, de tuberculose morrerá.
______________________________________________________________
3) Meu maior desejo é que ela volte logo.
______________________________________________________________
4) Nunca, respondeu ela abanando a cabeça.
______________________________________________________________
5) Minha mãe era temente a Deus.
______________________________________________________________
6) Poucos teriam ânimo de confessar aquele pensamento.
______________________________________________________________
7) Expus a Capitu a idéia de José Dias.
_____________________________________________________________
8) Há poucos que não se ajustam nem combinam
______________________________________________________________
9) Respondi que a linguagem, qualquer linguagem, é um meio de comunicação...
______________________________________________________________
10) A sintaxe é uma questão de uso...
______________________________________________________________
11) Só predomina nas línguas mortas...
______________________________________________________________
12) “Exijo submissão.”
______________________________________________________________
13) “Claro que eu não disse tudo isso para meus entrevistadores.”
______________________________________________________________
14) “...saber se eu considerava o estudo da gramática indispensável para aprender e usar a nossa ou qualquer outra língua.
______________________________________________________________
15) “Não merecem o mínimo respeito.”
______________________________________________________________
16) “...o tal professor lia esta coluna...”
______________________________________________________________
17) Estás zangada, não é, Aurora?
______________________________________________________________
18) O rapaz hospitalizado passa bem.
______________________________________________________________
19) Seu trabalho foi elogiado por todos.
______________________________________________________________
20) Era necessário o conhecimento da matéria.
______________________________________________________________
21) Morávamos longíssimo desse bairro.
______________________________________________________________
22) Uma palavra – LIBERDADE – te converte em escravo.
______________________________________________________________
23) A mulher caminhava triste.
______________________________________________________________
24) Paulo colocou os livros na garagem.
______________________________________________________________
25) Paulo lavou o carro na garagem.
______________________________________________________________
26) Você, Irene, não precisa pedir licença.
______________________________________________________________
27) Carlos comprou aquele computador.
______________________________________________________________
28) Aquele computador enguiçou.
______________________________________________________________
29) O São Francisco, o Velho Chico, banha Minas Gerais.
______________________________________________________________
30) A ponte foi construída pelos operários chineses.
______________________________________________________________
31) A descoberta do Brasil.
______________________________________________________________
32) A descoberta de Cabral.
______________________________________________________________
33) Caros alunos, nós, os professores, tudo esperamos de vós.
______________________________________________________________
34) A mulher caminhava triste.
______________________________________________________________
35) Não vás, amor; permanece aqui comigo.
______________________________________________________________
36) Marcos Vinícius morreu de medo.
______________________________________________________________
37) Leonardo deu flores a Caroline.
______________________________________________________________
38) O júri considerou Wilian culpado.
______________________________________________________________
39) Alugam-se vans.
______________________________________________________________
40) Precisa-se de arrumadeiras.
______________________________________________________________
41) As estrelas, grandes olhos curiosos, espreitavam através da folhagem.
______________________________________________________________
42) Os raios de sol espetavam a cortina do quarto.
______________________________________________________________
 
24- Numere a segunda coluna de acordo com a primeira.
(1) Adjunto adnominal
(2) Aposto
(3) Adjunto adverbial
(4) Vocativo
(5) Objeto direto
(6) Objeto indireto
(7) Complemento nominal
(8) Agente da passiva
(9) Sujeito
(10) Predicativo do objeto

(   ) Um céu azul contemplava meus olhos cansados.
(   ) Bons livros eram comprados pelo rapaz.
(   ) Todos viram o desastre.
(   ) Abriu a lata com o canivete.
(   ) O menina e o pai eram inseparáveis.
(   ) Não chores, meu filho!
(   ) Estamos confiantes na vitória.
(   ) Ele só queria duas coisas: dinheiro e mulheres.
(   ) Trouxeram a moça desmaiada.
(   ) Tudo dependerá de nós.

25- A frase “O detetive viu a velhota com a luneta.” tem duplo sentido semântico. De acordo com esse sentido, teremos diferentes análises sintáticas para o termo sublinhado. Diga quais são as interpretações possíveis e faça suas respectivas análises sintáticas.
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________

26- Leia o texto:

Solidão


Solidão dá um tempo e vá saindo
De repente eu tô sentido
Que você vai se dar mal

Solidão
Meu amor está voltando
Daqui a pouco está chegando
Me abraçando todo meu, meu

A solidão é nada
Você vem na hora errada
Eu que não te quero aqui
Que solidão que nada
Eu preciso ser amada
Eu preciso ser feliz

Solidão
Ele disse que me ama
Se amarrou em mim na cama
Me levou até o céu, céu

A solidão é nada...

A- “Solidão dá um tempo e vá saindo
     De repente eu tô sentido
     Que você vai se dar mal”

Por quê?
________________________________________________________________

B- (UFRJ) – Copie um verso do texto, onde a palavra solidão NÃO pode ser caracterizada, sintaticamente, como um eventual vocativo.
________________________________________________________________

C- Analise sintaticamente os termos destacados:
a) um tempo (V.1) – ______________________________________________
b) mal (V.3) –___________________________________________________
c) Daqui a pouco (V.6) –___________________________________________
d) Me (V.7) –____________________________________________________
e) na hora errada (V.9) –___________________________________________

27- Na oração: “Foram chamados às pressas todos os vaqueiros da fazenda vizinha”, o núcleo do sujeito é:
a) todos          
b) fazenda          
c) vizinha          
d) vaqueiros          
e) pressas

28- (CESGRANRIO) – Qual dos termos sublinhados tem a função sintática diferente dos demais?
a) Necessitamos de condições de vida mais humanas.
b) Certas coisas se apresentam até bastante positivas.
c) Tantas oportunidades são oferecidas a você.
d) Algumas pessoas são mais facilmente condicionadas.
e) Fico feliz de ver você assim tão calmo.

29- Assinale a opção onde há adjunto adverbial:
a) O aluno foi punido pela indisciplina.
b) O carro foi entregue ao dono por mim.
c) O aluno foi reprovado pelo professor.
d) O ladrão foi detido pela polícia.
e) Ele é querido de todos.

30- Identifique o tópico onde não se destacou um complemento nominal:
a) Ele comunicou o resultado ao companheiro.
b) Leu, no jornal, a notícia do atentado.
c) Quem se lembra do aviso aos navegantes?
d) A noite está propícia a devaneios.
e) Aos amigos, temos profundo respeito.

31- Assinale a opção onde se destaca um adjunto adnominal, e não um complemento nominal:
a) O relato do acontecimento modificou o seu comportamento.
b) As modificações do contrato tornam mais clara a situação.
c) Reuniram-se para o acerto das contas da empresa.
d) Havia, na esquina, uma bela casa de pedra.
e) Quem está contente com a situação atual?

32- Assinale a opção onde há agente da passiva:
a) As contas foram pagas por minha insistência.
b) Foram abordados pela professora.
c) Serás preso por vadiagem.
d) Ela é admirada por sua beleza.
e) Fui avisado por telefone.

33- Assinale a oração onde o verbo foi incorretamente caracterizado:
a) Ela anda triste. (verbo de ligação)
b) Ninguém ofereceu o lugar à jovem senhora. (verbo transitivo direto e indireto)
c) Ela vai ao Japão. (verbo intransitivo)
d) A vida continua. (verbo intransitivo)
e) Nunca estive em Paris. (verbo transitivo indireto)

34- O termo sublinhado exerce a função de objeto indireto, EXCETO em:
a) lembrei-lhe a data de aniversário de sua mãe;
b) perdi a cabeça durante a discussão e dei-lhe na cara;
c) devido a problemas de saúde, proibiram-lhe que fumasse;
d) incumbiram-lhe que entregasse a encomenda;
e) com certeza, pagou-lhe com bastante atraso.

35- Todas as alternativas contêm predicado nominal, EXCETO em:
a) a casa, de longe, parecia um monstro;      
b) aquele amor deixava-o insensível;             
c) ultimamente andava muito nervoso;
d) fique certo: eu não sou você;
e) o tempo está chuvoso, sombrio

36- Assinale a frase com predicado verbal:
a) o colega acusou-o de covarde;              
b) gostei do passeio marítimo;
c) o professor entrou preocupado em sala;
d) os amigos ficaram surpresos com sua reação;
e) estavas com saudades de teus irmãos.

37- Na oração: “Diziam que ele era igualzinho a meu pai”, o sujeito da primeira oração é:
a) simples      
b) composto      
c) indeterminado      
d) inexistente      
e) oculto

Gabarito

1- (1) (2) (4) (3) (1) (2) (4) (1) (4) (1)

2- a) Sujeito indeterminado b) Sujeito simples: tudo c) Oração sem sujeito

3- (2) (2) (1) (1) (3) (1) (2) (3) (2) (3) (1) (2) (1) (3) (1) (2) (1) (3)

4- a) Milhares de insetos morrem nas luzes da cidade, queimados.
b) A criança correu por entre os trilhos apavorada.

5- (1) (5) (5) (1) (5) (4) (3) (2) (5) (2)

6- (1) (3) (2) (1) (2) (3) (1) (3) (2) (1)

7- a) Objeto direto b) Objeto indireto c) Objeto direto d) Objeto direto e) Objeto direto, direto, indireto, direto

8- a) P. do suj. b) P. do suj. c) P. do obj. d) P. do suj. e) P. do suj.

9- OD – Aposto / OD – Aposto resumitivo

10- (2/1) (5/10) (3/7) (2/9) (4/5) (2/8) (6/2) (2/2) (3/5) (8/5)

11- a) negação, lugar tempo lugar b) companhia c) instrumento d) causa e) modo f) dúvida g) finalidade h) intensidade

12- a) As férias estão terminando já. Verbo de ligação b) Os turistas compravam recordações de viagem tranqüilamente, na feira livre. Verbo transitivo direto c) A cor e o perfume das flores encantam a nossa vida. d) As borboletas voavam de flor em flor no jardim. Verbo intransitivo e) Eu confio em você sempre. Verbo transitivo indireto f) O funcionário da firma entregou o pedido de férias a seu chefe. Verbo transitivo direto e indireto

13- a) Os grandes rios são caminhos naturais. b) O palácio do rei possuía belos jardins. c) Numa manhã de sol, todos ficam alegres.

14- a) Adjunto adnominal: indica o agente da leitura (o aluno lia). Complemento nominal: completa o substantivo leitura; indica o paciente dessa leitura (o anúncio foi lido). b) Complemento nominal: completa o sentido do nome ou substantivo. Objeto direto: completa o sentido do verbo. c) Predicativo do sujeito: está referente ao sujeito “a mulher”. Adjunto adnominal: está referente ao nome “mulher”, nesta frase o sujeito é “A mulher rica”. d) Adjunto adnominal: está caraterizando a banda. Adjunto adverbial de lugar: acrescenta uma informação referente ao lugar de onde a banda chegou.

15- a) Era necessário conhecer a matéria. b) Era preciso proteger os animais. c) Estava previsto cumprimentar os noivos. d) Será difícil reencontrar as antigas amigas. e) É impossível desprezar o dinheiro. f) Foi difícil resolver este problema.

16- a) (CN) b) (AD) c) (AD) d) (CN) e) (AD) f) (CN) g) (AD) h) (CN) i) (CN) j) (AD) l) (CN) m) (AD) n) (AD) o) (CN) p) (CN) q) (AD)

17- (1) (2) (2) (2) (2) (2) (1) (2) (1) (1)

18- (1) (1) (2) (3) (2) (2) (1) (3) (2) (2)

19- a) Todos elogiaram o seu trabalho. b) Os pais amam os filhos. c) A água cerca uma porção de terra. d) Todos elogiavam Joaquim. e) Os bárbaros destruíram a cidade.

20- a) Resposta pessoal b) Resposta pessoal c) Resposta pessoal d) Escrever é verbo e a gramática diz que verbo só pode ser modificado por advérbio e claro é um adjetivo, que por sua vez, só modifica substantivo.

21- a) Sujeito: Quatro ou cinco grupos do Farroupilha Classificação: simples Predicado: estiveram lá em casa numa mesma missão. Classificação: verbal
b) Sujeito: Cada grupo Classificação: Simples Predicado: portava seu gravador cassete Classificação: Verbal
c) Sujeito: (Eu) Classificação: oculto Predicado: Sou um gigolô das palavras              Classificação: nominal

22- a) Aposto b) Predicativo do sujeito c) Adjunto adverbial de lugar d) Objeto direto e) Objeto indireto f) Complemento nominal g) Objeto direto h) Objeto direto

 

23. 1) complemento nominal 2) predicativo do sujeito e adjunto adverbial de causa 3) predicativo do sujeito 4) sujeito 5)  complemento nominal 6) sujeito 7) objeto indireto 8) objeto direto 9) aposto 10) pred. do suj. 11) adj. adv. de lugar 12) obj. direto 13) obj. ind. 14) comp. nominal 15) obj. direto 16) obj. direto 17) vocativo 18) adj. adv. modo 19) ag. da pas. 20) comp. nom. 21) adj. adv. Intensidade 22) aposto 23) pred. do suj. 24) Objeto indireto 25) Adjunto adverbial de lugar 26) vocativo 27) Objeto direto 28) Sujeito 29) aposto 30) Agente da passiva 31) Complemento nominal 32) Adjunto adnominal 33) Vocativo e aposto 34) Predicativo do sujeito 35) vocativo36) Adjunto adverbial de causa 37) Objeto direto / objeto indireto 38) Predicativo do objeto 39) Sujeito 40) Objeto indireto 41) Sujeito 42) Adjunto adnominal

24- (1) (8) (5) (3) (9) (4) (7) (2) (10) (6)

25- Numa primeira perspectiva, o detetive usa o instrumento luneta para vê a velhota, logo, com a luneta será adjunto adverbial de instrumento. Numa outra possibilidade, a velhota é quem está com a luneta, sendo assim, com a luneta será predicativo do objeto.

26- A- Sugestão de resposta: Porque o amor está voltando, logo ela não estará mais só.
B- “A solidão é nada” ou “Que solidão que nada”
C- a) obj. direto b) adj. adv. de modo c) adj. adv. de tempo d) obj. direto e) adj. adv. de tempo

27- d     28- c     29- a     30- d     31- d     32- b     33- e     34- b     35- b    36- b    37- c

Nenhum comentário:

Postar um comentário